terça-feira, 2 de agosto de 2011

pôneis malditos

E então que ontem na trabalho, na rua, nos engarrafamentos só se ouvia:



"Pônei Maldito, Pônei Maldito
Venha com a gente atolar"



E eu fui ver o que o pessoal tinha achado. Todo mundo do mundo dos átomos amou! Todo mundo se acabou de rir... Daí fui checar os bytes e vi gente metendo o pau. No que diz respeito ao assunto deste blog, pergunto: esta animação, que remete diretamente ao universo infantil, pode ser considerada ofensiva? Dizer que um ponei pode ser maldito, ou seja, relacionar algum conteúdo "mal" aos brinquedinhos pode gerar traumas? Pode gerar consumismo infantil (em relação ao produto: carro!)? 

***

Vi gente argumentando que vai ter filho infernizando os pais para comprarem o carro dos poneis... Gente, me poupa, mas sofrer influência dos filhos para adquirir um bem de consumo deste preço é bastante temerário... É a própria inversão de papéis digna do filhiarcado em que vivemos.

Vi outro dizendo que a propaganda contem apelo infantil e deve ser alvo do Conar, aquele mesmo que proferiu ofensas ao respeitado Instituto Alana, num parecer bizarro que me encheu de vergonha de ser publicitária, provando que esta autorregulamentação está com os dias contados mesmo (veja algo aqui). A utilização de animação foi proibida e propagandas de bebidas alcoólicas, até porque é possível que crianças desejem consumir álcool. Não acredito que crianças desejarão atolar por causa dos pôneis, o máximo que vai acontecer é ver aquela menina linda cantando a porra da música que não sai da minha cabeça. 

***

Lembro que sou contrária à propaganda de produtos dirigidos ao público infantil, ou propaganda dirigida ao público infantil. Neste caso, para mim, o público-alvo está claramente definido: homens adultos que desejam potência e tração para enfrentar um atoleiro. Ponto!

É óbvio que a propaganda, especialmente a musiquinha 'dusinfermo', atinge a mim, a você e aos nossos filhos. Com a minha ingenuidade, não achei que a música 'do mal' gere nenhum prejuízo a Alice (que entende), nem a Arthur - salvo algum prejuízo na amamentação, pois o danado prefere os cavalinhos às tetas maternas o_O. E vocês o que acham?

Desejaria profundamente que as propagandas dirigidas ao público infantil fossem abolidas do país. Enquanto não são, preservo Alice do intervalo das tevês abertas e fechadas. Para evitar o intervalo super comercial, nem temos tevê paga. Ela só assiste DVDs e à TVE Bahia que tem uma programação infantil linda e as propagandas são apenas com conteúdos de cidadania (não vendem espaços para produtos ou serviços).

Mesmo assim, ela está cantando a música e eu, num ataque de #mãedemerda, não estou conseguindo me indignar com a propaganda e, pior!, estou achando lindo ver minha menina de cachos saltitando e cantando: 

Pônei Maldito, Pônei Maldito
Venha com a gente atolar
Odeio barro, odeio lama
Que nojinho!
Não vou sair do lugar!

***

Quer ver o filme, vai .
Quer ler uma opinião de publicitário, clica aqui.

***

E vocês, mães ativas, pensaram sobre isso? O que acharam? Deixam os filhos assistirem? Acham engraçado quando eles cantam e dançam? Acham que o Alana devia combater? Ou que o Conar devia proibir?

***

Em tempo: o filme ganhou dois Galos de Ouro no Festival de Gramado, nas categorias Cinema e Televisão e Mídia Digital.

31 comentários:

Maura disse...

Oiii!!!
Quero te convidar pra participar de um sorteio no meu blog. O prêmio é um kit de produtos para bebês da MAM. Te espero!!!
Um abraço,
Maura, mamãe da Sophia

MuitoCriança disse...

Mariana muito bem observado eles não precisavam colorir tanto a propaganda, ai a criança não ficaria enchendo a gente de perguntas. O contexto sem dúvido é bem legal, com certeza.
E quanto as propagandas infantis, detesto. Acho que todas influenciam as crianças, passando a obrigação de adquirir o produto.
Muito bem colocado. Bjs

Priscila disse...

Mari, eu adorei a propaganda. E aquele ponei virando do mal no final?? Nem preciso dizer que meus filhos amaram e até já tive que inventar histórias de medo com o ponei maldito.
Não achei ofensiva, a propaganda não é dirigida ao público infantil. Criança influenciar na compra do carro?? Ah, me poupe. Se isso acontece na casa de alguém, garanto que não é por culpa da propaganda.
Eu gostei. Meus filhos gostaram. E o carro ficou completamente de lado no meio dos poneis malditos.
Bj

Nave Mamãe disse...

Não vi e não posso dizer o que penso a respeito. Agora, já odeio publicidade infantil...
Não quero proibir o Lorenzo de comer nada e acho que ficará difícil "protegê-lo" dos fast-foods com a TV incentivando o consumo deles - e o pior é que até eu acho aqueles brinquedos bonitinhos!
Venho, desde agora, fazendo uma dvdoteca pra ele pra fugir dessas propagandas.
Minha mãe sempre conta que eu levantava em cada intervalo de programa infantil pedindo coisas. Era só ela dizer "compro" que eu esquecia, mas ai se ela dissesse que não, eu passava dias pedindo o objeto negado!

mperri disse...

Como peça publicitária eu achei GENIAL! Atingiu a meta. Virou Viral. O publicitário conseguiu exatamente o que queria.
Se me dá vontade de comprar o carro? Nem um pouco...rs
Se meu marido quis comprar o carro? Nem um pouco...
Se Alice viu ou se importou? Mais vaga noção... acho que não viu porque TV em casa é meio desligada durante o dia... mas pode ter visto na casa da avó... mas nem se ligou...
Mas, como ser com bom humor, ri baldes com a propaganda... conclui que os criadores devem ter, quando crianças, caído num balde de LSD... ninguém que bate bem consegue pensar em pôneis coloridos num carrossel cantando dentro do motor de uma pick-up... Ri mesmo, de me dobrar...
Conteúdo infantil? kkkkk Essa gente gosta mesmo de procurar pelo em ovo! O erro está no adulto que se deixa influenciar por uma criança cantando ponei maldito na hora de comprar um carro!rs
Acho que o mundo anda precisando levar o mundo menos a sério um pouco e rir do que é engraçado!rs

Jessica Penalva disse...

Como uma propaganda adulta é otima. Mas o que não curti foi usar algo infantil com teor pesado, lindos poneis malditos =/
eu não acho que seja legal uma criança sair cantando isso por ai, por mais que não entendam. é a mesma coisa de deixar uma criança cantar funks de duplo sentido.
Palavras tão fortes como maldição e odio não deveriam fazer parte do vocabulario inocente de uma criança.
Falei sobre isso no meu blog: http://kmpslife.blogspot.com

Mary disse...

O q eu não gostei foi pq atraem as crianças para um palavreado desnecessário...
Quando veem os poneis e escutam a musiquinha, eles prestam atenção, e eu acho meio desnecessário incluir no vocabulário de uma criança pequena a palavra "maldito"... acho muito forte e pesada...

Fabiana disse...

A Júlia AMOU essa propaganda também! Morre de rir quando passa... eu achei graça dela, mas confesso nem tinha parado para ver sobre o que era! E aposto que mesmo sendo fã da música a Júlia também não deve saber o que está sendo vendido por trás... depois vou perguntar para testar!

Anne disse...

Aqui nao teve impacto, eu nao prestei atenção e Joaquim nao liga, nao viu.
Mas eu nao tenho nada contra essa peça em específico nao. Peralá, somos adultos.
Quando eu digo que como batata frita, tem sempre um mala que diz: mas vc nao deixa seu filho comer, e come? Oras... Meu filho tem 1 ano, eu tenho 31. Eu bebo (ia) cerveja, ele nao e ponto.

Oq quero dizer é que eu sou a favor da proibição da publicidade para o publico infantil sim. As marcas tem que falar com quem pensa, compra, decide e é responsável por suas ações (ainda que muitos nem tanto) - os pais.

Sempre com boas discussões, hein?
Bjo

Mari Hart disse...

huahuahuahuhau Mari!! Adorei seu ponto de vista, não tinha oensado por esse lado! Na verdade acho que o povo vê maldade em tudo, o negócio é falar! rsrs...

Confesso que hj dei banho nas criancas cantando essa musiquinha maldita, ahahuhua e agora que esqueci vem vc relembrar! ahhahahah

Ana Paula - Journal de Béatrice disse...

Mari,

O meu comentario vai ser o mais imparcial possivel, ja que é a primeira vez que assisto ao video que vc indicou. Estou sob o impacto inicial da propaganda.

Eu achei engraçado. CHamei o marido e ele até deu um sorrizinho. O conteudo é adulto. Eu o acho improprio para crianças menores, não pelas gracinhas dos pôneis, mas sim pelo peso da palavra MALDITO(S), que nada mais é do que odiado, desgraçado. Para os mais fervorosos, seria a invocar o proprio dêmo (!!). Não acho legal uma crinaça pequena e inocente tomar contato com esse tipo de vocabulario.

Sinceramente, eu não gostaria de ver a minha filha de 2 anos cantarolar a tal musiquinha. Sem contar que o pônei que aparece no final é assustador (passa esse trecho no canal aberto, ou so para quem acessa videos no youtube?). E para um serzinho que ainda aprende a lidar com os sentimentos e que a palavra MEDO é uma constante, acho que, mais uma vez, não seria apropriado para a idade dela.

Espero que essa propaganda não passe nos intervalos das Xuxas da tv aberta...

Bem, não sou publicitaria, mas se a musiquinha fosse "pôneis queridos, pôneis queridos..." como se fosse uma tiração de sarro da situação e os pôneis coloridos (inocentes e saltitantes) dentro do carro, seria de conteudo bem mais familiar.

Enfim, se eu tivesse que classificar o conteudo dessa propaganda, eu a consideraria como desaconselhavel (veja bem, é diferente de ser proibida) para menores de 10 anos. Aqui é normal constar a classificação do conteudo da propaganda no rodapé da tela (isso tb serve para os programas de tv).

Acho que é isso ; )

Beijão!

Celi disse...

Mari,
Não imagina como fui ficando curiosa enquanto lia seu post.
Ainda bem que colocou o link para poder assistir e também ficar com a música do inferno na cabeça...rs
Muito pertinente seu post. Uma questão que merece um debate. Impressionante como eles têm o dom de atrair o público.
Agora, infelizmente se não há algo melhor e adequado também sou a favor de vetar o que o meu filho assiste. Cada pessoa com seus valores!
Não achei a música adequada e muito menos a propaganda. Direcionada aos pais, mas querendo atingi-los através das crianças. É isso que passou pela minha cabeça. Assisti somente através do link, já que não tenho acesso.
Um beijo.

Mariana - viciados em colo disse...

gente, o pônei mal do final só passa no youtube. e concordo que a palavra maldito soa estranho na boca destas criaturinhas puras e inocentes (as crianças, claro!).

outra coisa: pelo que sei, o comercial só está passando em programas mais adultos mesmo, especialmente programas mais masculinos (jornalismo e esporte, por exemplo) aqueles que as crianças não devem assistir de qualquer forma... alice viu muito no fantástico de domingo, porque passou uma reportagem bala sobre natureza e ela veio assistir...

das outras vezes em que viu, estava no quarto brincando e nós (pasmem!) chamamos ela para ver... kkkkk o pai (e eu também - confesso!) está achando graça quando ela canta...

é isso!

PatydaSara disse...

Menina, achei super engraçado, ri demais(principalmente quando um deles sai do carrosel e manda um beijo dizendo "te quiero")kkkkk!!! me remeteu á minha época de " Meu querido pônei", achei legal como peça publicitária, aliás, esse povo tá cada vez mais criativo, né??tenho uma filha de 1a9m que adorou,não porque vai incentivá-la de nada, ou por causa do "maldito" do põnei(ela ainda não fala direito), é mais pelo colorido deles mesmo. na boa? tem gente que encasqueta com tudo, eu hein!! :) ah,e eu pensei ter ouvido os bichinhos dizerem "pônei maluco" ao invés de "pônei maldito"...tá vendo como eu também só me liguei no colorido e na melodia deles??? bjssss

Ana Paula - Journal de Béatrice disse...

; )
Ufa, ainda bem que o pônei maldito vermelho que aparece no final so da no youtube!! Agora, vou te contar ein, que essa musiquinha fica pregada na cabeça da gente, ah isso fica!!
Beijão : )

Dani Garbellini disse...

Mari, não vou opinar porque eu nunca ouvi/vi isso na vida. Aqui a tv muito raramente é ligada, somente dvd.
E nem vou assistir o filme no you tube para não grudar em mim.
Mas ó, a imagem no post me pareceu muito infantil e, sei lá, será que é legal usar linguagem infantil em propaganda, mesmo que destinada a adultos?
Não sei, preciso pensar mais no assunto...
[ai, que comentário inútil!]
Beijos!

Mil Cachinhos disse...

oi Mari,
posso ser sincera? Nunca tinha reparado direito na propaganda, nem lembrava que era de carro. Como tenho uma micro-casa e falta de paciência para sentar e assistir tv, mais escuto que vejo o seu conteúdo. No caso dos pôneis já tinha escutado a musiquinha, mas nunca assistido a propaganda inteira. Ela só me chamou atenção pq outro dia minha filha me perguntou o que é "te quiero" ao final da propaganda e nós ficamos rindo enquanto eu contava a ela como se diz eu te amo em outras línguas. Acho que ela é tão lerda quanto a mãe... Aqui em casa ela assiste Discovery Kids, inclusive as propagandas, e “pesca” os programas adultos que assistimos: basicamente noticiários da Globo e da Band, Discovery e o futebol do pai. Já me pediu uma ou outra coisa, mas sem nenhuma insistência, e em outubro último, uma little mommy com mais ênfase, pq o DK fez uma lavagem cerebral por conta do dia das crianças, e eu sentei com ela e expliquei que a boneca é muito cara e que eu achava uma burrice gastar tanto dinheiro com ela se podíamos com a mesma grana comprar uma porção de outras coisas. Ela concordou comigo e assim ficamos.
Sei lá, sou preocupada com o consumismo infantil, mas cuido disso buscando dar exemplo (mesmo que seja escondendo os meus próprios consumismos kkkkk), destacando as coisas que julgo mais importantes que “o TER”, falando claramente para ela que as coisas custam dinheiro e que precisamos saber escolher bem com o quê o gastamos, e não dando muita importância para algum pedido consumista que ela faça. Acho que tem dado certo... ou ela é simplesmente tão lerda quanto eu...

Mil Cachinhos disse...

Ah, fiquei aqui pensando... porque existe um incômodo tão grande com os pedidos dos filhos por isso ou aquilo? Porque o medo de dizer NÃO, filho, não vou comprar. Porque não tenho dinheiro, ou não acho legal, ou não é adequado para sua idade, ou sei lá porque. Procuro evitar que minha filha seja alvo do consumismo para que ela não se torne uma pessoa consumista, para que ela tenha outras referências, mas não para ela parar de me encher o saco pedindo algo. Acho importante que ela saiba que nem tudo que se oferece é legal, e que nem tudo que desejamos pode ser alcançado, ou é realmente relevante.
Fiquei pensando...

Nine disse...

Putz guria, eu nem sei que diacho é esse tal de ponei maldito...quando comecei a ler pensei que era algum funk bagaceiro!

Fiquei de cara que é um brinquedo! Céus! Detestei a música, não conheço o brinquedo mas tb acho o ó esse fábrica de propagandas para as crianças, principalmente aquelas com conteúdo de péssima qualidade, mensagens machistas e preconceituosas, afe!

Beijos,
Nine

Ivana - coisademae disse...

Mari, eu nunca tinha vista o vídeo e nem mesmo ouvido a música. Sendo bem sincera, achei o "conceito" da propaganda até legal e não vejo problema na utilização de um símbolo infantil (o poneizinho querido das meninas), dá pra separar as coisas. Mas peloamor, que música horrorosa!!!!!!!!!!!!!! Achei de extremo mau gosto! Só serviu pra gerar polêmica e bafafá (a tenho certeza de que era isso que eles queriam)!

Eu também acho o ó propagandas infantis apelativas, que hipnotizam as crianças. As meninas aqui assistem a TVE e alguns canais infantis da SKY (não são todos que permito). Mas vc sabe que elas não ligam muito para as propagandas? No máximo dizem: "olha que linda essa boneca, mãe.". Na maioria das vezes saem correndo pra fazer outra coisa enquanto o desenho não recomeça. São elétricas mesmo.

Enfim, não vou cantar esse música aqui não. Mas se as meninas ouvirem e a descobrirem em algum lugar, vou levar na esportiva! No stress.

Bjos!

Jeferson Cardoso disse...

Estou lhe esperando em meu blog! Você disse que voltaria para fazer críticas arrasadoras conforme pedi. Estou com medo de você, mas lhe espero “º~º”. Brincando... Estou lhe esperando. Quero sim sua sinceridade, mesmo que isso seja doloroso para mim [sorrio]. Abraço!

Sarah disse...

Mari, eu ouvi falar desse comercial hoje e dei de cara com seu post. Ainda bem que vc colocou o link, porque eu nem tinha visto, já que quase não vejo tv aberta também.
Mas eu não achei nada demais. Não acho que atinja crianças no quesito consumo, no máximo podem achar engraçado e tal. Mas não é um comercial de produto para criança, não tem apelo infantil além da animaçãozinha. É o que vc falou, no máximo ficam com a musiquinha na cabeça.
Como comercial, acho que a agência foi feliz na criação. Conseguiram o que queriam, chamaram atenção, criaram um viral. A coisa pode (e certamente vai) render.
Quanto a comerciais para o público infantil, esses sim precisam ser mais controlados (enquanto não são proibidos, o que tenho certeza que nunca serão, infelizmente). Lembra do comercial da Brahma que tinha uma tartaruguinha? Eu achava absurdo, aquilo sim incitava crianças e poderia levar ao consumo de um produto inadequado. Outro mais antigo é o das tesourinhas do mickey (eu tenho, vc não teeem...), que incentivava o consumo pela disputa.
O que nos resta é evitar o acesso dos pequenos a esses comerciais, quando possível. E educá-los, todos os dias, passando nossos valores. Esses sim, se sólidos, constroem opiniões que podem contestar propagandas infelizes.
bjos!

Jeferson Cardoso disse...

Mariana, voltei! Você prometeu que iria ao meu blog e cumpriu com sua palavra; isso é algo de muito valor, é atenção e respeito. Obrigado! Sei que possuo muitos erros de português, e já errei mais. Não gosto de errar, mas tenho problemas de formação e tal. Meu blog está em seu terceiro ano de publicações. Ele coincide com o início de minha “escrita”; comecei aos 34 anos.
Todos os anos eu participo em alguns concursos literários. Nestas ocasiões, procuro uma profissional da Língua Portuguesa para corrigir os textos que envio. A cada texto os apontamentos são menores. Não tenho estudado gramática, porém me tornei um leitor bem mais atento às minúcias da linguagem, isso tem me ajudado.
Quanto ao texto Esquizofrenia, foi mesmo uma estratégia de comunicação. Escolhi referir-me ao leitor quando criei o primeiro texto dos dois “Um Trocado Para Uma Lata De Leite Caro”. Eu queria publicar algo no blog, mas queria que fosse algo novo, criado na hora. Então trabalhei um fato do dia. Por coincidência, o fato recorreu; fiz “Esquizofrenia”.
Bem, se você continuar indo ao meu blog, gostaria que comentasse todas as postagens que lesse, pois assim me dará oportunidade de falar de uma maneira aberta de minhas criações, e creio que esse seja um deleite para todo ‘pai’ [sorrio]. Um forte abraço de blogueiro e mais uma vez muito obrigado, Mariana!

Jeferson Cardoso disse...

Olá, Mariana! Bom dia; e que seja este um dia mágico pra todos aí! Abraço! Deus contigo!

Nine disse...

Putz...não era um brinquedo, hahahaha, A LOCA!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Passei pra conhecer e assim lendo eu pensei quem é esse ponei maldito rs.
Também sou contra à propaganda de produtos dirigidos ao público infantil. Hoje a mídia tomou conta do lares, da vida e do ser humano. Adorei conhecer seu blog. Parabéns! Vou estar voltando muitas vezes. Se puder venha conhecer meu espaço. Um beijo!

Smareis

Renata Franco disse...

Oi Mariana, tudo bem?! Muito bacana seu post!
Trabalho na área de mobilização do Instituto Alana e gostaria muito de conversar com você. Você pode entrar em contato comigo? Meu email é: renata@alana.org.br

Um abraço!

Paulo Bouvier disse...

Ai meu Deus...
Outra vez isso te Pôneis...
Estão todos falando nisto! Vou-me enlouquecer.
Mas o comercial é legal. Engraçado.
Gostei daqui e virei sempre.

Convido-lhe para visitar meu blog., comentar e seguir se tu gostou. (http://paulobouvier.blogspot.com/)

Obrigado!

Renata disse...

Olha, eu tb não consigo me indignar não. Assisti pela primeira vez junto com o André (3 anos) e ele adorou. Primeiro nem tem idéia que se trata de uma propaganda de carro e gostou mesmo da musiquinha, que ele canta e eu acho graça. Não é dirigida ao público infantil...não vejo problema algum!!
beijos

Espere um pouquinho... disse...

Confesso de achei a propaganda bem engraçada e a música realmente cola em nossos ouvidos.
Isso não é uma propaganda de criança, assim como foi dito aqui mesmo nem passa em horários em que a criança tem fácil acesso a televisão.
Acho que deveria deixar rolar, tem coisas muito piores por aí, como por exemplo, algumas chamadas de filmes que mostram cenas que não são legais para a meninada!
Beijos http://espereumpouquinho.blogspot.com/

anaÊ disse...

Tá, não sou mãe, não estou discutindo o maldito pônei, mas o maldito sistema que exalta valores que são combatidos pela educação que as mães preocupadas com seus filhos: potência, velocidade, individualismo.
Errada para mim é a propaganda do carro. Maldita cultura do automóvel, que faz as ruas não serem tranquilas para que os pais possam levar seus filhos para a escola de bicicleta, ou simplesmente levá-los num passeio, ou ao médico, sei lá!
Muitas vezes, ir de bike é mais rápido, menos estressante do que pegar engarrafamento. Mas, entendo os pais que zelam pela segurança dos seus filhos.
Adoraria que os malditos pôneis pudesses existir nas ruas para as crianças pudessem circular com tranquilidade!
Eu sonho que nossas ruas possam vir a ser como na Europa, com respeito aos pedestres, aos ciclistas, com passeios, ruas interditadas para carros para que as famílias possam estar com os seus ao ar livre!