quinta-feira, 31 de maio de 2012

um amor de quatro patas


Por Andréa Rios*

Animal de Estimação traz alegria e aprendizado para as crianças 

No primeiro momento a chegada de um cachorro parecia assustadora... Marido não queria nem pensar na ideia e para mim existia um medo muito grande de não dar conta do que estaria por vir. Mudar a rotina da nossa casa, aumentar os gastos... E se a gente se arrependesse? Mas enfim, tomamos coragem e há três anos chega ao nosso lar um ser que transformaria para sempre nossas vidas, mas principalmente um elemento fantástico no processo de desenvolvimento e amadurecimento da nossa filha Júlia que na época tinha sete anos! 

Desde o primeiro dia que a cachorrinha Magali chegou aqui em casa identifico os benefícios para o aprendizado de Júlia, que demonstra um forte vínculo com o animal. É incrível como as crianças formam ligações poderosas com seus bichos de estimação, que em muitos casos podem ser tão fortes quanto a que têm com os familiares. Referem-se aos bichos de estimação, como membros da família e aprendem a amá-los porque se sentem amados também por eles. Lembro quando Júlia me dizia que descobriu que Magali balançava o rabinho tanto para ela porque ficava feliz quando ela chegava da escola. “...o animal é tão bacana, mas também não é nenhum banana...” 

Nesse convívio percebo que todos nós aqui em casa quando estamos com Magali colocamos para fora o que temos de melhor, porque ela é doce, amável e brincalhona e nos recebe todos os dias com muita festa e alegria não importando quanto tempo estivemos fora e se estamos tristes ou felizes. A convivência com o animal é uma oportunidade de uma experiência que envolve emoções, responsabilidades e conseqüências. No cotidiano a criança observa os pais e aprende o cuidado com esse ser, que exige atenção e carinho. E quando a criança assume também a responsabilidade nesse cuidado,o vínculo se fortalece, melhora a auto-estima e ela aprende que amar é também cuidar e ser responsável. O processo de cuidar que implica em alimentar, educar ou treinar, assim como ajuda a crescer, possibilita que a criança aprenda sinais não-verbais e busquem atender as necessidades que foram expressas. Com isso os bichos de estimação ajudam as crianças a se sentirem competentes e capazes. 

O que pensar quando a criança recorre ao seu animal para conversar sobre algum aborrecimento ou tristeza do momento? Vejo isso aqui em casa e já ouvi “Magali é a única que me entende...” É gostoso vê-las brincando, correndo e também tão próximas que parecem que conversam e se entendem, tornando-se verdadeiras confidentes. Esse contato estimula a sensibilidade, a relação com o outro, o cuidado com a natureza e com o mundo ao seu redor. Todas as crianças deveriam conviver com animais, pois com eles aprendem lições de amor, lealdade, respeito e com certeza serão adultos melhores. “... o animal é paciente, mas também não é nenhum demente...” 

Hoje já sabemos que todo trabalho é compensado pelo aprendizado que eles nos trazem. Já sabemos que todas as peripécias serão perdoadas com o olhar sincero, o rabinho balançando e as lambidas fora de hora! Eles nos ensinam todos os dias a perdoar, a relevar, a ser humilde e amar! Vale muito à pena pensar na possibilidade de incluir um animal no plano de educação e criação de um filho! Apoio e indico! 

Os animais nos tornam pessoas melhores, mais tolerantes e sensíveis, mais apaixonadas e esperançosas. O amor pelos animais faz crescer em todos nós o entusiasmo pela vida. 


Dedico este texto a minha Kita, que me motivou a falar do tema e a minha tia-amiga Claudinha que é a mais apaixonada por animais que conheço!!

---

(*) Andréa Rios, sem saber, abordou o tema da semana lá do Mamatraca. Nos idos dos anos 1990, eu, que nunca tive um bicho para chamar de meu quando era criança, usava e abusava das travessuras de Tiny, a lhasa apso de Andréa e sua irmã, Luciana. Sou testemunha do seu amor pelos cães!

    

5 comentários:

Beatriz Zogaib disse...

Pois é, eu estou querendo dar um cachorro para o pequeno. E acho que a leitura de posts sobre o assunto é um sinal! Ou não?
Animal é muuito importante para a criança mesmo. Mas a gente sempre tende a pensar no trabalho que dá...
 
Beijos
Bia
www.maedacabecaaospes.com.br

Bianca Osses disse...

Nossa Mari, fiquei tocada com seu texto. Lindo, lindo. Aqui em casa eu tenho cachorros desde que nasci. Com 35 anos, já tive que me despedir de alguns, afinal, esses amados são tão especiais, que sua passagem por aqui é muito curta. O curioso é esse tema aqui, hj. Estou com minha poodle de 9 anos com uma mastite, que pode ter virado um câncer. Essa semana mesmo postei sobre o assunto.  Vale muito esse amor, viu?! Demais da conta. Bjs

Mariana Machado de Sá disse...

Muita força aí, viu!
A única opção é focar os bons momentos e estar grata pelo que passou... :(
Beijoca

Mariana Machado de Sá disse...

Tem um monte de vídeo legal sobre o tema lá no Mamatraca. Se está com esse dilema, lugar melhor para decidir não há!
Beijoca

Bianca Osses disse...

Mari, obrigada pela força! Sábado provavelmente será a cirurgia. Mas exames de eletro, ultra e raio x já eliminaram a metástase. Estamos mais animados e confiantes. Fui lá no Matraca ver os videos e os posts sobre o tema. Nossa, que bacana! Bicho é muito bom!
Bjs